quinta-feira, 11 de março de 2010

Dia Mundial do Rim


O Brasil tem hoje cerca de 2 milhões de pessoas que sofrem de doença renal crônica (DRC) e este número vem crescendo assustadoramente... Pessoas portadoras de diabetes são as mais suscetiveis a desenvolver doença renal, mas não fique aliviado caso não tenha diabetes! Cuide-se!


Eu sempre fui saudável até que numa simples consulta de rotina com meu ginecologista (Dr. Lineu Motta) no final de 2004 ele descobriu algo de errado. Sugeriu uma gravidez ectópica, pois estava com uma "massa palpável" no lado esquerdo... Fiz uma ecografia e o resultado: rim esquerdo com volumes e contornos alterados! Corri para o consultório de um urologista (Dr. Paulo Henrique Teixeira) e ai vieram muitos exames, tomografias, viagens à Porto Alegre para procurar outro especialista (Dr. Túlio Grazziotin) e a triste notícia: aos 25 anos eu estava com Câncer!


Fumava desde os 16 anos e o médico foi fatídico, que teria que largar o vício antes que fosse tarde... Isso foi o de menos, usei uma medicação especifica e parei de fumar logo.


Depois de muitas consultas, exames e mais exames, marcamos a cirurgia (nefrectomia) para o dia 09/07/05, um sábado frio... O médico de Porto Alegre, super querido e atencioso se dispôs a vir fazer a cirurgia na minha cidade (São Gabriel) juntamente com o meu médico daqui. Tentariam extrair apenas o tumor por uma incisão na região abdominal (na região onde habitualmente se faz cesareana) para evitar hemorragias e até mesmo grandes incisões... Não deu para tirar apenas o tumor, o rim estava comprometido e foi preciso retirá-lo também, mas graças à Deus a cirurgia foi super tranquila, durou cerca de 4 horas e não foi preciso recuperação em UTI nem bolsa de sangue, coisas que já haviam sido cogitadas e fiquei só com alguns "pontinhos" de cicatriz, pois foi feita por "vídeo" e sem incisão grande.


A recuperação foi ótima, quase não tive dor (graças à Deus e também à um catéter colocado na medula pelo anestesista - Dr. Paulo Eduardo Pizarro), mas algo ainda me preocupava. O rim extraído pesou cerca de 3 vezes mais do que um rim normal, foi para análise e o resultado sairia em 20 dias aproximadamente. Foram os dias mais angustiantes da minha vida! Embora os médicos dissessem que o tumor estava restrito ao rim, eu morria de medo! Já tentava preparar meu psicológico para enfrentar quimio, cabelo caindo, náuseas, vomitos...


O resultado chegou numa sexta-feira mas não consegui abrir o envelope, morria de medoooo do que estava escrito ali! Não deixei ninguém abrir e o guardei como um tesouro até o sábado. É claro que não dormi... Meu médico estava em cirurgia e fui até o hospital para que ele abrisse e me dissesse que eu estava curada! Senti um alivio sem tamanho, uma vontade de sair gritandoooo! O tumor era de grau III, de Furhman, resumindo: maligno mas ficou limitado apenas ao rim. Ainda bem!


Faço exames semestrais para controle, mas GRAÇAS À DEUS, está tudo em ordem com meu rim direito! Tento cuidar dele o máximo possível!


Não escrevi minha história para comover ninguém, mas para alertar, pois eu nunca tive sequer uma dor na região renal, sempre urinei normalmente e se não fosse o meu "anjo-gineco" hoje talvez eu nem estivesse aqui para encher o saco de vocês! Agradeço todos os dias por Deus ter sido tão bom comigo e agradeço também pelos médicos maravilhosos que me atenderam, à minha família, amigos e ao meu amor, que estava sempre presente para me confortar!
Cuidem-se!
.

10 comentários:

carol sakurá disse...

Flávia!
A cada instante te admiro mais!
Vc é uma guerreira e o Bê tem a mãe mais valente do mundo!
Fique com Deus,amiga!
Beijos!

Beth/Lilás disse...

Linda amiga, que bacana sua preocupação em alertas outras pessoas, demonstra o alto grau de espiritualidade que já alcançou.
Quanto ao seu ocorrido, fico imaginando a sua dor e o quanto deve ter perdido em noites mal dormidas.
Sua família que esteve ao seu lado, também é merecedora de elogios e a todos desejo agora, melhores dias.
Obrigada pela dica.
bjs cariocas

Renata Lopes Costa disse...

Flávia não sabia que teu problema no rim se tratava de um câncer, na minha santa ignorãncia imaginava um problema qualquer(como se problema pode ser "qualquer"), câncer assusta um pouco. Mal posso imaginar a dor que sentiu com a notícia a a angustia por receber a notícia que desejava. Admiro tua força! O Lineu e Paulinho foram meus médicos quando Tavo nasceu. Tenho um carinho muito grande pelo Lineu, mesmo de longe ainda o considero meu ginecologista.

Um brinde á tua recuperação! Beijo!

ॐ Camila Anastasi disse...

Flavia, parabens por tanta coragem e força de vontade!
Eu fiquei ate com vergonha agora, pois tenho pedras no rim esquerdo, ja consegui expelir, mas minha falta de beber agua sempre tras de voltas as pedras, a dor é insuportavel, e eu mesmo assim nao aprendo a ter o habito de beber agua!

Parabens por ser como vc é!

Cris disse...

Sua história é uma lição de moral pra quem precisa doar e pra quem precisa receber o rim... talvez assim as pessoas se conscientizem! Beijos

Alline disse...

Flavitcha, brigada pelo alerta e por dividir tua história - com final feliz... ainda bem! - com tuas leitoras.
Tô com um exame de urina pra fazer há séculos que penso não ter a ver com com DRC, mas já vou me apressar com isso. Deixar rolar não é um bom negócio.

Um beijo pra ti e muita vida. =)

Flávia Fayet disse...

Meninas obrigadaaaa pelas palavras e pelo carinho! Beijosss

Lidia Ferreira disse...

Minha querida adorei a frase eo magnífico texto , voce esta de parabéns
bjs

Lidia Ferreira disse...

Ps- Quando eu crescer quero ser igual a voce ,rsrsrs vc e uma grande guerreira


ha estou esperando mais historio do Bernardo
bjs

Luciana Klopper disse...

Mana que orgulho ter sua amizade, que guerreira! Que batalha, amiga q momentos dificil!
Nunca pensei que tivesse passado por isso, foi bom te conhecer um pouco mais..te amo pra sempre!