sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Aqui não era feriado!

Sem saber que ontem era o Dia Nacional da Consciência Negra, fiz uma “homenagem” para uma amiga no post abaixo. Depois que fui ver na TV sobre a data, mas será que ainda precisamos de um dia especial para lembrar dos negros? Fiquei até surpresa em saber que em vários municípios é feriado! Será que nosso país ainda vive na época da escravidão? Temos que pegar "carona" com os Estados Unidos que acabam de eleger o primeiro presidente negro da história e acabar com essa bobagem que lugar de “gente de cor” é varrendo ruas ou então que negro é marginal, assaltante...
Sou totalmente contra qualquer tipo de preconceito, negros, homossexuais, emos, tatuados, punks, ETs... Cada um tem seu livre arbítrio, seu direito de ir e vir, fazer o que bem entender da sua vida! Ora, agora porque fulano é negro não pode ser médico, ter um emprego digno, a fulana que tem cabelo rosa é olhada dos pés a cabeça e criticada por onde passa... A cor da pele, a cor do cabelo, opção sexual, acessórios... não podem dizer quem é mais inteligente, quem é mais capaz de assumir um cargo, fazer um serviço... Mas acho que a data em especial já é demais. Tudo bem que é em homenagem à morte do Zumbi dos Palmares, que sempre defendeu “negros livres”, igualdade racial, mas será que os próprios afro descendentes não estão sendo preconceituosos, não estão se menosprezando em relação às outras raças? Também não acho corretas as cotas raciais nas universidades, todos têm livre acesso às universidades, independente de cor, sexo ou raça. Depende é do QI de cada um, isso sim!
Bom, mas já que existe a comemoração quem sou eu pra criticar? Também acho errado comemorar o dia das mães, dia dos pais... Mãe, pai... são pessoas tão importantes na nossa vida que não podem se restringir a um só dia, dia das mães é todos os dias!

3 comentários:

Renata Lopes Costa disse...

Me deixou sozinha no msn, vim aquii!

Sabe que também acho que é um preconceito deles próprios esta tal de cota nas universidades, querem tanta igualdade, mas nessas horas se sentem diferentes por que? Lutam por cotas pra que se são iguais? A não!! Concordo contigo!!

João Áquila Lima dos Santos disse...

infelizmente, aqui em ARacaju tb não

Beth/Lilás disse...

Ih, o assunto é prá lá de polêmico!

Também acho muitas coisas e não concordo em favorecimentos por causa da cor da pele e um feriado para negros leva a pensar em um feriado para brancos, amarelos, etc. Na Baha, onde tem mais negros no país, não foi feriado. Entende uma coisa dessas?

O que eu acho é que o Brasil teria que inserir o negro na sua sociedade através da cultura e no cuidado com os jovens carentes e abandonados que estão aí a cada dia sendo devorados pela marginalidade.
Nosso país, infelizmente, ainda é um bocado preconceituoso.

Este feriado, ao meu ver, serve pra corroborar este pensamento.

abraço carioca